Os jovens estão realmente desinteressados da política?

O número de eleitores entre 16 e 18 anos diminuiu pela primeira vez em eleições gerais desde o pleito de 1998. Neste ano, 2,391 milhões de jovens com voto facultativo estão registrados, contra 2,566 milhões cadastrados para as eleições de 2006. Trata-se de uma queda de 6,81%. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo ainda com o levantamento, entre as eleições presidenciais de 2006 e as municipais de 2008, houve um aumento de quase 14% no eleitorado jovem. O número chegou a 2,923 milhões. Assim, no comparativo com a última eleição realizada no país, a queda da participação de jovens no pleito deste ano chega, na verdade, a 18,2%.

A faixa etária que mais colaborou para a diminuição foi a de jovens de 17 anos, que registrou a pior participação desde 1994, ano no qual, pela primeira vez, o TSE registrou os eleitores por idade nas eleições gerais. Em 2010, 1,1 % do eleitorado está nessa faixa etária, contra 1,34% em 2006, 1,37% em 2002, 1,23% em 1998, e 1,55% em 1994.

O TSE não sabe o que causou a redução. “É difícil estabelecermos o que causou essa diminuição, precisamos fazer um estudo para determinar isso”, disse Sérgio Cardoso, assessor-chefe da corregedoria do tribunal. “O decréscimo não é tão significativo, não parece que é um desinteresse generalizado”, afirmou Giseppe Janino, secretário de Tecnologia da Informação do TSE.

Será? A revistapontocom quer saber a sua opinião.
Afinal, os jovens estão realmente desinteressados da política?

O número de jovens eleitores é quatro vezes menor que o de outro grupo de eleitores que também tem voto facultativo: os idosos acima de 70 anos. Neste ano, 6,2% do eleitorado está acima dos 70 (4,6% entre 70 e 79 e 2,32% acima de 79 anos).

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar