ZoaSom: do radinho de pilha à internet em busca dos jovens

“Há dois processos: tanto a geração Google bebe em tendências do passado quanto o próprio rádio se rejuvenesce com as novas tecnologias de comunicação”, João Paulo Malerba.

  

Por Marcus Tavares

Afinal, de que forma o rádio pode se reinventar no mundo digital e conectado pela web e suas redes sociais e, ainda por cima, atrair a atenção dos jovens? Bem, tem gente tentando emplacar novidades no mercado. É o caso, por exemplo, do programa ZoaSom, que acaba de estrear na Rádio MEC AM, no Rio de Janeiro.

Como define o diretor do programa, João Paulo Malerba, o ZoaSom é um programa de rádio feito por jovens e para jovens. E segundo ele, rádio é coisa de jovem, sim, mas tem que ser um rádio plugado nas multiconexões que as novas tecnologias permitem. “O ZoaSom é um programa de auditório que vai além do auditório e um programa de rádio que usa e abusa da internet. Essa é a aposta do projeto”, avisa.

O programa estreou na última quinta-feira, com a presença da cantora Fernanda Abreu. Logo após a estreia, o diretor concedeu uma entrevista a revistapontocom. Saiba como você, jovem, pode participar do programa.

Confira:

revistapontocom – No mundo da geração google, ainda há espaço para programa de rádio para jovem?
João Paulo Malerba –
Há dois processos: tanto a geração Google bebe em tendências do passado quanto o próprio rádio se rejuvenesce com as novas tecnologias de comunicação. O ZoaSom é um programa de auditório que vai além do auditório e um programa de rádio que usa e abusa da internet. A proposta é integrar redes sociais e plateia; SMS e telefone do ouvinte; blog e email; podcast, transmissão analógica e online. Estão prevendo a morte do rádio há, pelo menos, uns 60 anos (co  a chegada da TV), mas o bom e velho rádio continua aí, um hábito de mais de 80% dos brasileiros (Relatório de Pesquisa Quantitativa – Hábitos de informação e formação de opinião da população brasileira encomendada pela Secom à empresa Meta, foi realizada no período de 31 de janeiro a cinco de fevereiro, nas cinco regiões do país em 639 cidades). Rádio é coisa de jovem, mas tem que ser um rádio plugado nas multiconexões que as novas tecnologias permitem. Essa é a aposta do ZoaSom.

revistapontocom – Qual é a proposta do ZoaSom? No que consiste a programação?
João Paulo Malerba
– O ZoaSom é um programa de rádio feito por jovens e para jovens, presença marcada na Rádio MEC AM, das 17 às 18h, sendo realizado ao vivo no histórico auditório da Rádio Nacional. O programa pretende ser um espaço no rádio para jovens discutirem cultura e arte, música e atualidade. Toda semana teremos um tema que será debatido entre os ouvintes do rádio, a plateia, os twitteiros, além de um convidado especial para enriquecer a conversa. Além disso, o ZoaSom quer ser o espaço da música independente. Toda semana teremos a presença de uma banda independente, cantando, tocando e trocando ideias com a gente. Os programas têm quadros especiais para deixar os participantes ligados no que está rolando no mundo jovem: Chá de Bússola (com as principais dicas e oportunidades para quem quer se mexer); dicas culturais da semana; Encontrei no MySpace (sempre com uma dica de banda independente que disponibiliza seu trabalho na rede). E ainda o RadioAtividade: um espaço democrático onde rádios universitárias, comunitárias, livres, centros de produção independentes podem mostrar o seu trabalho.

revistapontocom – A quem se destina? Qual é a expectativa do programa? Quais são as estratégias para atrair a atenção do público?
João Paulo Malerba –
O ZoaSom se destina ao público jovem e adolescente e a nossa expectativa é que essa galera ocupe o ZoaSom, participando online, ao vivo, sugerindo temas, enriquecendo o debate… Para isso abrimos vários canais em diversas redes sociais (Twitter, Orkut, FaceBook, YouTube, Flickr). Todo o material do programa fica disponível do blog do ZoaSom www.zoasom.com, onde os ouvintes/internautas podem baixar o programa, ouvir e assistir online no momento da veiculação do programa, opinar sobre o programa etc.

revistapontocom – Quais são os principais desafios?
João Paulo Malerba –
O principal desafio é fazer do ZoaSom um verdadeiro ponto de encontro de música, cultura e arte jovem e que a galera tome, invada, conquiste esse espaço como seu.

revistapontocom – Quem quiser participar…
João Paulo Malerba
– Para participar tem vários caminhos: ser for uma banda independente, mande uma descrição básica da banda e algum material musical demonstrativo para o [email protected]. Se for uma escola, entre em contato para agendar uma participação coletiva especial, através do [email protected] ou  pelo telefone (21) 25085204. Se quiser participar ao vivo no dia é só chegar meia hora antes no auditório da Rádio Nacional, Praça Mauá, 7, 21º andar, todas as quintas-feiras. Ou ouvir online através do zoasom.com ou ainda através do Twitter @ZoaSom ou SMS (21) 87785366. O blog também está aberto a críticas, sugestões e participações.

Faça aqui o seu cadastro e receba nossa news

0 0 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Penha
Penha
13 anos atrás

Fiquei muito feliz em ler esta matéria sobre o rádio. Há um tempinho atrás estava lembrando me dos programas de rádio na época em que eu era adolescente e senti falta. Tinham programas muito bons dedicados aos jovens. Nos dias de hojé é difícil ver um jovem ouvindo rádio. Ainda não ouvi este programa, mas prometo que ouvirei. Sucesso!

PENHA

Michel Schettert
13 anos atrás

Valeu, Francisco!
Eu sou um dos apresentadores do ZoaSom e estamos mesmo muito felizes com o retorno. Só temos recebido elogios! O programa é muito atual e esperamos que cada vez mais pessoas enxerguem isso.
Abraços!
MICHEL SCHETTERT

Francisco
Francisco
13 anos atrás

Meus aplausos para esta iniciativa. O trabalho do rádio é algo muito importante, ainda, para muitas pessoas.
Estive, de 10 a 12/08/2010 participando de um Seminário Latinoamericano Rádio Escolar, promovido pela ONG Catavento (que completa 15 anos de existência) foi muito bom. Percebemos o quanto o papel do rádio é importante para as camadas mais humildes da sociedade latinoamerica.
A escola em trabalho possui uma rádio escola (chamada “Onda Jovem”) = uma atração para os jovens, sempre.
Parabéns!!!
Vou me esforçar para particpar qq dia desses.
Francisco Costa – Paramoti/CE

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar