O ensino de Língua Portuguesa no século XXI

revistapontocom – O que hoje não se pode deixar de ensinar, na área de Língua Portuguesa, na Educação Básica?
Carmen Pimentel – A ler. Parece óbvio, mas não é. Ler engloba muito mais do que somente decodificar o sistema linguístico. Nossas crianças precisam estar em contato com os livros, manuseá-los, brincar com eles, aprender a gostar deles como fonte de conhecimento e de prazer desde quando começam a segurar as coisas. E isso é ensinado. Incentivar a leitura, convidar para a leitura, mostrar o valor de uma história. Só assim se aprende a ler.

revistapontocom – O que é preciso ser aprendido, na área de Língua Portuguesa, pelos alunos na Educação Básica?
Carmen Pimentel – Muita gente acha que ensinar Língua Portuguesa é ensinar gramática. A gramática não deve ser esquecida, mas também não deve ser a única abordagem. Partindo da leitura e da compreensão de textos, o ensino da língua ganha função e passa a ser mais interessante para a criança. Saber o porquê das escolhas de determinadas expressões, a estrutura das frases que podem gerar diferentes entendimentos, o significado das palavras que são a base do texto, isso é muito rico e torna o ensino de Língua Portuguesa mais dinâmico e significativo para os estudantes.

revistapontocom – Qual é o principal desafio de se ensinar Língua Portuguesa, nos dias de hoje, para os alunos na Educação Básica?
Carmen Pimentel – A competição com outras mídias. Ler livros é uma experiência única. Se o professor não consegue passar isso para seus alunos, ele não contribui para um bom ensino de Língua Portuguesa nem para uma formação integral de seus alunos. A internet, o cinema, a música, enfim, são linguagens que caminham junto com a Língua Portuguesa. Afinal, por trás dessas linguagens está a própria língua! Lançar o desafio da leitura de um livro é estimular a criatividade, aguçar a percepção, dar oportunidade para ampliar conhecimentos de toda espécie – até linguístico.

revistapontocom – Ensina-se Língua Portuguesa, nos dias de hoje, da mesma forma que se ensinava no final do século XX? Se algo mudou, o que mudou e por quê?
Carmen Pimentel – Nem pode ser assim. Quantas coisas surgiram de lá para cá. Quantas novidades, quantas possibilidades. A ideia é aliar a tecnologia ao ensino sempre. Atualmente o ensino de Língua Portuguesa, especialmente da gramática, procura ser mais ligado aos textos. Fala-se muito da Gramática Textual que parte da leitura e da compreensão dos textos para a estrutura gramatical. Mas ainda há muita confusão quanto a essa metodologia. Alguns professores entenderam que a gramática, então, não precisava mais ser ensinada. Se temos que aprender a somar e multiplicar para fazer os cálculos mais complexos, temos que compreender como a língua se estrutura para podermos ler e escrever quaisquer textos com mais facilidade. Soma-se a isso o uso das tecnologias em sala de aula, e temos, com certeza, um ensino diferente daquele do final do século XX.

revistapontocom – Hoje, você diria que ensinar Língua Portuguesa, na Educação Básica, é mais …. por quê?
Carmen Pimentel – É mais divertido. Pelo menos deveria ser. Com todas as possibilidades tecnológicas que temos em mãos e com mais diálogo entre professores e alunos que antigamente, se o professor não aproveitar para tornar suas aulas mais divertidas, mais dinâmicas, mais criativas, está marcando passo. Leitura, tecnologia e visão crítica são as palavras-chave para o ensino de Língua Portuguesa nos dias de hoje. Afinal, material para usar em sala de aula não falta.

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar