Esse Rio é Meu: projeto inspira peça de teatro sobre a história do Rio Timbó, protagonizada por estudantes do Ensino Fundamental

Confira a entrevista com a professora de artes cênicas, Karina Lisbôa.

Por Marcus Tavares

Karina Lisbôa entrou na rede municipal da Prefeitura do Rio em 2019. Professora de teatro, ela foi designada para trabalhar com os estudantes do Ensino Fundamental da Escola Municipal Antonio Pereira, em Tomás Coelho, Zona Norte do Rio. A experiência de apresentar e desenvolver a arte cênica com as crianças tem sido um desafio, que vem oportunizando aos estudantes o acesso a uma outra linguagem, tão valiosa quanto crítica e reflexiva.

Foi nesta direção que, por sugestão da coordenadora Camilla Marques, a professora resolveu montar um espetáculo teatral que contribuísse com a discussão da preservação e recuperação dos rios. “Tive uma reunião com a coordenadora Camilla Marques que me apresentou o projeto Esse Rio é Meu e perguntou se eu tinha interesse em realizar uma apresentação teatral com essa temática. Concordei”, conta em entrevista à revistapontocom.

O projeto Esse Rio é Meu é desenvolvido em conjunto pela Secretaria Municipal de Educação e pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura do Rio, em parceria com a oscip planetapontocom e a concessionária Águas do Rio – patrocinadora do programa. O objetivo do programa é engajar escolas na recuperação e preservação dos rios. Cada grupo de escolas da rede pública de ensino do Rio ficou responsável por desenvolver ações em torno de um dos rios da cidade.

Karina então se dedicou a pesquisar sobre o Rio Timbó, que fica próximo ao colégio. Recorreu também aos trabalhos que a própria escola estava desenvolvendo com outras turmas e tomou a iniciativa de escrever uma peça teatral que contasse a história do bairro, dos moradores e sua relação com o rio.

Com qual objetivo? Conscientizar, por meio do teatro, estudantes e suas famílias sobre a importância do descarte de lixo e da preservação do leito do rio. “Assim surgiu o espetáculo Um Rio de Reflexões. Foi uma peça muito lúdica que encantou a todos”, destaca Karina que, a partir deste ano, estará lotada na Escola Municipal Hélio Smidt, em Engenho de Dentro.

Acompanhe a entrevista concedida pela professora:

revistapontocom – De onde surgiu a ideia?
Karina Lisbôa –
Tive uma reunião com a coordenadora Camilla Marques que me apresentou o projeto Esse Rio é Meu e perguntou se eu tinha interesse em realizar uma apresentação teatral com essa temática. Concordei e fiz uma pesquisa sobre o rio, sua história e moradores. Aproveitei também alguns trabalhos sobre o rio que tinham sido feitos pela escola, como entrevista com antigos moradores. Depois da pesquisa, escrevi o texto dramático. Em seguida, convidei 17 alunos de diferentes turmas do 1º ao 5º ano para participarem do elenco e da produção. Fiz um esboço com todas as referências de figurino e um resumo do que seria cada parte da apresentação.

revistapontocom – Qual era o objetivo da encenação? Qual era a narrativa?
Karina Lisbôa –
O objetivo era apresentar a história da região do rio, dos primeiros que foram ali morar, das construções do entorno, dos hábitos dos moradores e suas consequências. Além disso, criar uma reflexão na plateia a respeito do descarte indevido do lixo. A peça trazia uma mistura de realidade e ficção. Na peça, após uma inundação, moradores são solidários e ajudam uns aos outros, limpando o local com a ajuda da Comlurb. Os idosos lembram do tempo de criança, quando brincavam no rio limpo, e pensam como seria bom ter o rio limpo novamente. Para fechar o espetáculo, fadas fazem o trabalho de limpar o entorno do rio, deixando uma mensagem de que é possível mudar para melhor.

revistapontocom – Como aconteceu a produção?
Karina Lisbôa –
Com o texto pronto, dividi o elenco. Os ensaios começaram em maio e aconteciam depois do horário da aula, terças e quintas, das 14:30 às 15:30.  Em setembro, durante as aulas regulares com as turmas, realizamos a construção de parte dos cenários e figurinos. A maior parte do cenário e do figurino foi feita de forma sustentável. Criamos muita coisa com objetos adquiridos em brechó e materiais recicláveis. A apresentação aconteceu em novembro do ano passado.

revistapontocom – Qual foi o resultado?
Karina Lisbôa –
Um espetáculo, de 45 minutos, muito lúdico, que apresentou diferentes épocas da região e sua relação com o rio. Mostramos o rio limpo e o rio poluído, do lixo e da inundação, mas também da solidariedade e dos sonhos de um rio limpo novamente. Apresentamos o espetáculo para a comunidade. Houve um entusiasmo muito grande. Também era a primeira vez que aqueles estudantes estavam dentro de um palco. Eles adoraram a experiência.

revistapontocom – Arte e sustentabilidade combinam?
Karina Lisbôa –
Sem dúvida. A arte pode sim trazer essa reflexão para a sustentabilidade. A arte tem uma crítica, uma reflexão muito importante.

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar