Esse Rio é Meu: protagonismo e representatividade na Escola Municipal Mario Claudio para salvar o Rio Comprido

Relato de experiência
Por Ana Cláudia Rodrigues da Cunha (diretora) e Charlene de Queiroz Augusto Belisario (coordenadora pedagógica) da Escola Municipal Mario Claudio, Tijuca, Zona Norte do Rio

O projeto teve início logo após a primeira reunião de divulgação e explicação de como seria seu desenvolvimento dentro das unidades escolares, no início do ano letivo de 2022. Como sempre acontece com os projetos que nos são apresentados, a equipe gestora acolheu o projeto Esse Rio é Meu, analisou suas etapas e o adaptou à realidade escolar. Devido a alta demanda do dia a dia, os professores foram apresentados ao projeto e encontramos uma estratégia produtiva e eficaz na dinâmica escolar.

Planejamos junto com a professora da Sala de Leitura, professora Luciana Barboza, a prática do projeto. Todas as turmas da escola participaram com um representante de cada turma e esse estudante se tornou o multiplicador da aprendizagem em sua turma.

Uma vez por semana os multiplicadores se reuniam com a professora Luciana e aprendiam, através de pesquisas, vídeos, fotos, filmagens um pouco mais sobre o Rio Comprido. Assim, ao final de cada aula, compartilhavam o que aprenderam, envolvendo todos os estudantes no projeto.

Também foi possível refletir sobre a função de cada indivíduo na preservação do Rio, levando para suas famílias o que aprenderam durante as atividades do projeto. Nas aulas foi possível, escrever, refletir, analisar e dialogar criticamente encontrando estratégias para o bom funcionamento do nosso Rio Comprido.

Relato de experiência.

O resultado foi compartilhado através de uma bela e descontraída exposição, onde os estudantes representantes de cada turma apresentavam seus trabalhos e explicavam a importância do projeto.

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar