Uso, compra e descarte de celulares e tablets: saiba como agir

Acesse gratuitamente a publicação.

Você sabe quais cuidados deve tomar ao usar, comprar, repassar ou descartar dispositivos móveis? O fascículo Celulares e Tablets, lançado pelo Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil (CERT.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), traz dicas práticas de como proteger os dados armazenados nesses aparelhos, evitar riscos à privacidade, e não cair em ciladas ao adquirir ou vender dispositivos, entre outras orientações.

O material, que pode ser acessado gratuitamente aqui.

Na primeira parte do fascículo, os especialistas abordam os cuidados na hora de usar celulares e tablets, como instalar atualizações e evitar aplicativos desnecessários. “Sistemas e aplicativos possuem vulnerabilidades que podem ser exploradas para invadir o dispositivo, capturar informações ou instalar malware. Ao manter o aparelho atualizado, o usuário diminui as chances de se tornar vítima ou parte de ciberataques”, explica Cristine Hoepers, gerente do CERT.br.

Por isso, sempre que possível, é fundamental ativar a atualização automática dos aplicativos, aceitar as atualizações de segurança; manter relógios; fones e demais acessórios “inteligentes” conectados ao dispositivo igualmente atualizado; além de instalar apenas aplicativos que realmente vai usar. Outra orientação importante é baixar apps somente em lojas oficiais do sistema ou do fabricante do dispositivo, para se esquivar daqueles criados com fins maliciosos.

O fascículo menciona, ainda, a importância de ser cauteloso ao usar comunicação por proximidade. Para conectar acessórios, transferir, compartilhar dados e fazer pagamentos, dispositivos móveis usam bluetooth e NFC, e atacantes podem se aproveitar desses recursos para furtar dados, fazer pagamentos fraudulentos e invadir o aparelho. “Por isso, é importante ficar atento aos pedidos de pareamento e autorizar apenas se tiver certeza de que são seus próprios acessórios”, reforça Hoepers.

Na hora de comprar
Na segunda parte do fascículo, o usuário é orientado sobre o que deve observar ao comprar celulares e tablets, especialmente usados e antigos. No caso dos modelos mais defasados, por exemplo, alguns dispositivos deixam de receber atualizações e correções de falhas fornecidas pelos fabricantes. Com isso, o aparelho pode ficar desprotegido e as informações armazenadas, vulneráveis.

“Se houver possibilidade de escolha, opte por modelos mais novos. Celular é um dos principais meios de comunicação, e muitos dos brasileiros acessam a Internet exclusivamente por esse dispositivo, o que evidencia os cuidados que devem ser tomados ao utilizá-lo”, orienta Hoepers, fazendo alusão à pesquisa TIC Domicílios 2021, conduzida pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação do NIC.br (Cetic.br|NIC.br), cujos dados revelaram que 64% dos usuários de Internet no país acessam a rede exclusivamente pelo telefone celular.

Repassar ou descartar
O novo fascículo explica, ainda, que também é preciso se precaver no momento de repassar ou descartar o celular ou tablet. É fundamental, por exemplo, que o usuário apague os dados do dispositivo evitando que suas informações sejam repassadas ao próximo dono, e desvincule o aparelho da conta ID do sistema, para que o próximo dono possa usá-lo. É recomendável, também, excluir as associações ao celular antigo, eliminando de suas contas de aplicativos, os acessos concedidos ao celular, e retirar as autorizações ou pareamentos associados ao dispositivo. Confira o fascículo na íntegra:

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar