Serbian Film: sexo, violência e pedofilia

Por Marcus Tavares

Tortura, sexo e violência. Necrofilia, pedofilia e estupro de um recém-nascido. Esse é o repertório do filme Serbian Film, do sérvio Srdjan Spasojevic. O longa conta a história de um ator pornô em fim de carreira que aceita participar de um filme de arte, mas é obrigado a se submeter a um projeto exploratório com excentricidades sexuais, de incesto à pedofilia.

O filme chegaria às telas do país nesta sexta-feira, dia 5. Mas foi, a principio, adiado para o dia 26. A 1ª Vara da Infância e da Juventude do Rio impediu a exibição do filme nas cidade carioca. O Partido dos Democratas (DEM) ajuizou uma ação civil pública contra a exibição, justificando que a história faz apologia à pedofilia, o que é proibido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A Procuradoria da República no Estado de Minas Gerais também solicitou a proibição ao Ministério da Justiça, por meio do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação (Dejus), responsável por classificar as obras cinematográficas.

Na tarde desta sexta-feira, dia 5,  o Ministério da Justiça, no entanto, divulgou nota oficial classificando o filme para “não recomendado para menores de 18 anos, por conter sexo, pedofilia, violência e crueldade”. De arcordo com o órgão, “por se tratar de atividade de caráter meramente informativo, a classificação indicativa não se traduz em autorização ou permissão para a exibição dos filmes”. Segundo o DEJUS, a  proibição só pode acontecer por decisão judicial. Tudo indica que o filme, portanto, terá sua estreia marcada, exceto no Rio enquanto a ação civil pública não for julgada.

Polêmica é o que o filme provocou até agora. E não só no Brasil. Na Espanha, ele foi proibido por “ameaçar a liberdade sexual’. No Reino Unido, foi liberado após 49 cortes. O laboratório que fez as cópias da película na Alemanha destruiu tudo após ver o conteúdo.

Na última  semana, a distribuidora do filme, Petrini Filmes, divulgou imagens do making of com o objetivo de mostrar que nenhuma criança estava presente no momento das filmagens, o que, conforme a distribuidora, afastaria as acusações de que a exibição de Serbian Film infringiria o ECA.

Os realizadores afirmam que usaram apenas próteses, bonecos e truques de edição nos momentos mais impactantes da história. O diretor diz ainda que nenhuma criança foi exposta à violência durante as filmagens. O recém-nascido que aparece seria um robô e o restante das cenas de violência, resultado de truques de edição e efeitos especiais. “Nenhuma criança foi exposta de qualquer maneira nas cenas em que aparecem, tampouco um adulto teria interpretado seus papéis”, destaca nota oficial da Jinga Films, agente de vendas internacional do filme.

Assista ao making of

De acordo com a distribuidora, o pedido de classificação indicativa foi encaminhado ao Dejus no dia 20 de junho, pleiteando a exibição para maiores de 18 anos.  Em seu site, a Petrini Filmes informa que a estreia está marcada para o dia 26 de agosto e avisa que o trailer, à disposição, é proibido para menores de 18 anos porque contém cenas fortes.

Leitor da revistapontocom: o que você acha desta polêmica?
Faça seu comentário!

Categorias

Arquivos

Tags