Esse Rio é Meu: planetapontocom e Águas do Rio firmam parceria

Os atores e embaixadores Malu Mader e Thiago Lacerda participam do evento.

Por Marcus Tavares
Fotos de André Luiz Mello

A concessionária Águas do Rio oficializou, nesta quinta-feira, dia 10 de agosto, sua participação no projeto Esse Rio é Meu, garantindo os recursos para a implementação do programa – de recuperação e preservação dos rios – junto às escolas da Prefeitura do Rio de Janeiro, numa cooperação entre a Secretaria Municipal de Educação, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o planetapontocom. Ao lado dos atores Malu Mader e Thiago Lacerda, embaixadores do projeto, estudantes, professores e funcionários da Escola Municipal José de Alencar, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, celebraram a parceria num dia festivo de muita reflexão e compromissos com o presente e o futuro.

“A Águas do Rio faz parte do grupo Aegea. Estamos em 154 cidades no Brasil e em todas elas desenvolvemos projetos voltados para educação ambiental nas escolas. Quando fomos apresentados ao projeto Esse Rio é Meu, vimos uma grande aderência à empresa. Um projeto que se preocupa com a limpeza dos rios, com a preservação dos mananciais, tem tudo a ver com nossos objetivos. Acreditamos que a escola é um espaço transformador, assim como as crianças. Quando as questões de preservação e saneamento são inseridas nas escolas, você consegue fazer uma transformação. As crianças acabam multiplicando os conhecimentos junto às famílias, parentes e comunidades. O nosso futuro está na escola, não há dúvida. Neste sentido, projetos como esse não podem ser pontuais, devem ter continuidade”, destaca William Carvalho, Gerente de Responsabilidade Social da Águas do Rio.

William Carvalho, Gerente de Responsabilidade Social da Águas do Rio.

Que o diga a professora Ana Paula Carvalho Leandro, diretora da escola José de Alencar. Segundo ela, é imprescindível que a pauta sobre meio ambiente esteja presente em todos os debates que incluem a vida social e educacional. “A escola possui, através do afeto, da informação e da interação, os meios ideais de provocação social e de ações transformadoras. A José de Alencar é uma escola pública e muitas vezes a sociedade traduz escola pública como escola do governo. Nossa comunidade e gestão escolar trabalham na contramão desse pensamento. A escola é nossa, é das famílias que ela acolhe. O projeto Esse Rio é Meu é parte desse pensamento. Em nossa unidade, o projeto é parte dessa apropriação e desse entendimento coletivo de pertencimento”.

A estudante Joara, a diretora da E.M. José de Alencar, Ana Paula, e o aluno Mateus.

Pertencimento que ajuda a conscientizar dentro e fora da escola. A estudante Joara Araújo Farias, de 14 anos, matriculada no 9º ano, diz ter aprendido muito com o projeto e levado as discussões para sua comunidade. Morando no Morro de Santo Amaro, no bairro do Catete, ela participa de um projeto do Instituto Ademafia de Cultura e Esporte. Lá, vem apresentando algumas reflexões, debatidas na escola, sobre a importância da preservação dos rios e do saneamento básico. “Esse debate está ainda começando, mas já existe”, comemora. Colega de turma, Mateus Maurício dos Santos Gorgete, 14 anos, faz coro: “Esse projeto reforça a importância da conscientização em quem já tem, mas, ao mesmo tempo, provoca mudanças positivas em quem nunca parou para pensar sobre tais temas. Isso é muito legal”, conta.

O ator Thiago Lacerda, embaixador do projeto.

“Legal e gratificante”, complementa o ator Thiago Lacerda. “É um prazer estar aqui neste evento que convoca a comunidade do Rio de Janeiro para uma conscientização a respeito da saúde dos seus rios. Ter os jovens envolvidos na ideia da preservação e conservação, levando a uma apropriação de suas comunidades e ao protagonismo juvenil, é sensacional. Espero que os jovens se envolvam cada vez mais nestas causas”.

Renata Suraide, represenante da Secretaria Municipal de Educação do Rio.

Representante da coordenadoria de Ensino Fundamental e da Primeira Infância da Subsecretaria de Ensino da Secretaria Municipal de Educação, Renata Suraide, reforça exatamente o papel de responsabilidade que os jovens têm no dia a dia. “Quando falamos da importância de cuidar dos rios, estamos falando, na verdade, do cuidado com a gente, com a nossa vida, com o nosso futuro. Espero que os jovens de hoje tornem-se, cada vez mais, cidadãos conscientes e participantes. É importante termos o poder público fazendo o seu papel, a iniciativa privada e as parcerias, mas não podemos esquecer da nossa responsabilidade, não podemos esquecer que nossas ações individuais fazem diferença”.

Malu Mader apoia o projeto e é uma das embaixadoras.

Afinal a natureza não está no outro, no externo. “A natureza somos nós”, resumiu Malu Mader. Conversando com os estudantes, a atriz disse que a natureza está sendo destruída de forma ‘absurda, inconsciente e aterrorizante’ e que muitas vezes estamos diante de um caminho sem volta. “Neste contexto, é muito lindo ver as escolas participando de um projeto como esse, que mostra a importância das atitudes cotidianas”.

Silvana Gontijo, presidente do planetapontocom.

É neste sentido que Silvana Gontijo, presidente do planetapontocom, idealizadora do programa Cidades, Salvem seus Rios que deu origem ao projeto Esse Rio é Meu, avisa que a proposta vai muito além da pura e simples sistematização do conhecimento. É uma proposta que entende os conteúdos curriculares como uma chave, como uma ferramenta que possibilita transformações através de uma causa, neste caso a causa das águas. “Complementando: uma causa que vale a pena lutar e que nos surpreende com tamanha adesão das escolas, seus professores e estudantes”. “O Esse Rio é Meu é um caso de empreendedorismo social, que reúne o poder público, o privado e iniciativas da sociedade civil organizada, como o planetapontocom. Conquistamos muito em pouco tempo, afinal o projeto começou no ano passado em plena pandemia e já alcançou resultados impressionantes”, comemora o subsecretário de meio ambiente do Rio, Lucas Padilha.

Subsecretário de meio ambiente do Rio, Lucas Padilha.

Presente ao encontro, o Diretor Superintendente da Concessionária Águas do Rio, Sinval Andrade, adiantou que a empresa vem trabalhando na recuperação do Rio Carioca. Ele disse que logo no início da gestão, o curso do rio que desembocava na Praia do Flamengo foi desviado para o emissário submarino, em Ipanema. E que vem sendo realizado um cadastramento das redes de esgoto ao longo da extensão do rio para identificar os lançamentos irregulares. Em breve, segundo ele, haverá uma inspeção em todo o curso para que medidas de proteção sejam tomadas e o Rio Carioca esteja plenamente preservado.

Diretor Superintendente da Concessionária Águas do Rio, Sinval Andrade.

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar