Carta para Monteiro Lobato

Em homenagem ao nascimento do escritor, o menino Artur Melo relembra personagens e histórias.

Em comemoração ao aniversário de nascimento do escritor Monteiro Lobato, celebrado no dia 18 de abril, data em que se celebra também o Dia Nacional do Livro Infantil,  Artur Melo, fã dos personagens do Sítio do Picapau Amarelo, faz uma homenagem ao pai de Emília e Visconde de Sabugosa. Confira:

Por Artur Melo, 10 anos
Aluno do 5º ano do Ensino Fundamental, da Escola Sá Pereira


Prezado Monteiro Lobato,

Desde pequeno gosto muito de suas historias, quando nem sabia ler ainda, pois já via os filmes e minha mãe me contava um bocado de histórias. Uma vez eu ganhei todos os personagens em fantoches e um palco de teatro. Adorava chamar todos da família para fazer apresentações das cenas que eu via ou imaginava, no Sítio.

Quando fiz dois anos tive uma festa do Sítio, meu avô fez uma casa/Sítio da Dona Benta com quintal e tudo. A casa era grande, dava para as crianças entrarem nela, era feita de base de sucata e toda coberta de doces, as crianças entravam, brincavam e comiam.

E quando cismava com algum personagem… um dia resolvi ter uma canastra como a da Emília, foi um tal de catar sucatas, pedrinhas, insetos, tampas pecinhas de eletrônicos quebrados, juntava tudo em uma canastra de madeira; uma vez ganhei um saci de brinquedo, aquilo foi o máximo, fui correndo nas coisas do meu avô, peguei: peneira, garrafa, rolha, caneta e segui todas as instruções do Tio Barnabé para pegar saci, prendi o meu lá dentro, na garrafa.

Outra vez cismei que ia até a Lua na viagem ao céu. Nessa idade já tinha a minha própria caixa de ferramentas, consegui umas madeiras e comecei a fazer uma nave. Deu uma confusão danada porque peguei a bengala da minha bisavó, serrei para fazer uma alavanca.

Uma vez cheguei a ficar até quatro horas da manhã vendo o filme do Minotauro. Já estava maior e adorava ver a fuga do Rabicó e a Tia Nastácia enchendo a pança do Minotauro com bolinhos de chuva. Meus personagens preferidos são o Pedrinho, gosto das aventuras dele, mas também gosto bastante da Emília, do jeito com ela fala e age.

Obrigado pela sua mente criadora!

Um abraço do Artur

Categorias

Arquivos

Tags