CETIC.br: referência em pesquisas sobre as TICs

Instituto desenvolve pesquisa para conhecer o uso do computador e internet entre crianças e jovens. Leia entrevista com Alexandre Barbosa.

 

Por Marcus Tavares

Em março deste ano, o Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), departamento do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (Nic.br), criado para atender às demandas do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), foi elevado à categoria de centro de estudo regional da Unesco, o primeiro dedicado ao estudo da sociedade da informação.

Na cerimônia da assinatura do acordo entre a Unesco e o CETIC.br, Alexandre Barbosa, gerente do CETIC.br, disse que a parceria, é na prática, o “reconhecimento do avanço que o Brasil tem feito nos últimos anos no levantamento e utilização de indicadores relacionados à sociedade da informação”.

A revistapontocom entrevistou Alexandre Barbosa com o objetivo de entender um pouco mais sobre o trabalho do CETIC.br, que, em conjunto com o Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologias de Redes e Operações (CEPTRO.br) vai realizar, entre os dias 14 e 17 de maio, em São Paulo, a II Semana NIC.br de Metodologias de Pesquisa. A proposta é promover um espaço para a capacitação e discussão de temas sobre metodologias de pesquisas em TICs, com abordagem qualitativa e quantitativa. Clique aqui e confira informações sobre o curso.

Na entrevista, Alexandre conta detalhes do curso e fala sobre a atual pesquisa que o CETIC.br está desenvolvendo no país: a TIC Crianças e TIC Kids Online, cuja divulgação dos dados está prevista para o final deste ano.

Acompanhe:

revistapontocom – Podemos dizer que, na área das TICs, o Brasil hoje já possui dados/pesquisas contundentes e confiáveis?
Alexandre Barbosa – Sim, o Brasil possui hoje uma série de pesquisas sobre o uso das novas tecnologias de informação e comunicação (TIC) em diversos setores da sociedade. O Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) foi criado em 2005 com o objetivo de conduzir o processo da pesquisa sobre o uso das TICs no Brasil e com o enorme desafio de produzir, sistematizar, analisar e divulgar dados periódicos sobre o crescimento e uso da Internet brasileira. O CETIC.br tornou-se referência na produção de estatísticas TIC no Brasil.

revistapontocom – Em que medida os estudos coordenados pelo CETIC.br vêm contribuindo para uma maior qualificação das pesquisas sobre as TICs no Brasil?
Alexandre Barbosa – Desde seu início, o processo de produção e desenvolvimento da pesquisa do CETIC.br foi realizado em sintonia com padrões internacionais de realização de pesquisas. Tem como referências o Observatório da Sociedade da Informação na América Latina e Caribe (Osilac) da Comissão Econômica para América Latina das Nações Unidas (Cepal) no contexto do Partnership on Measuring ICT for Development, iniciativa multilateral, com o objetivo de melhorar a qualidade e a disponibilidade de dados e indicadores sobre a evolução da sociedade da informação em todo o mundo. A iniciativa do Partnership foi lançada durante a 11ª reunião da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD), realizada em São Paulo, em junho de 2004, e reuniu diversas entidades internacionais. O CETIC.br participa também ativamente dos debates nacionais e internacionais para a definição dos indicadores-chave para a medição das TICs. As pesquisas realizadas pelo CETIC.br seguem, portanto, o padrão metodológico da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD) e do Eurostat (órgão estatístico oficial da União Europeia), assim como as referências internacionais, permitindo a comparabilidade internacional entre a realidade brasileira e a de outros países.

revistapontocom – As pesquisas conduzidas pelo CETIC.br já impactaram as políticas públicas do Estado brasileiro? Há algum exemplo?
Alexandre Barbosa – Sim, temos vários exemplos de uso dos dados das pesquisas para o uso em políticas públicas, seja no processo de elaboração de políticas públicas, seja no processo de avalição dessas políticas. Como exemplo podemos citar o Plano Nacional de Banda Larga, as políticas para os telecentros, o Proinfo, os planos de ação do governo eletrônico, entre outras.

revistapontocom – Qual é o maior desafio de produzir pesquisas sobre as TICs no Brasil?
Alexandre Barbosa – O maior desafio é o custo das pesquisas.

revistapontocom – Qual é o custo médio de uma pesquisa sobre as TICs no Brasil?
Alexandre Barbosa – O custo das pesquisas não é uma informação pública. Elas são financiadas pelo
NIC.br. As pesquisas são caras por serem complexas a realização no campo, são de abrangência nacional, incluindo áreas rurais.

revistapontocom – Pode-se dizer que o Brasil vem criando uma metodologia própria na elaboração de pesquisas em TICs?
Alexandre Barbosa – O CETIC.br segue ao máximo padrões metodológicos internacionais, mas em várias situações faz-se necessário o desenvolvimento de metodologias próprias. Em ambos os casos, contamos com uma grande rede de acadêmicos e pesquisadores ligados às melhores universidades brasileiras e também no exterior que contribuem em nossos projetos e em nossas discussões metodológicas.

revistapontocom – O sr. teria algum exemplo de uma metodologia própria, criada no contexto brasileiro?
Alexandre Barbosa – Por exemplo, a TIC E-Gov e a TIC Lan houses.

revistapontocom – A II Semana NIC.br de Metodologias de Pesquisa vai ao encontro de um estabelecimento/criação de uma metodologia própria brasileira?
Alexandre Barbosa – A Semana NIC.br de Metodologias de Pesquisas foi idealizada com o objetivo de criar um espaço para a capacitação e discussão de temas sobre metodologias de pesquisas TIC com abordagem qualitativa e quantitativa. Tem como propósito garantir um nivelamento conceitual e teórico dos produtores de estatísticas TIC com foco na importância do rigor metodológico nas pesquisas, no entendimento do universo de pesquisa, nos métodos qualitativos e quantitativos, e nas técnicas análise de dados. É um espaço de capacitação para gestores públicos e acadêmicos.

revistapontocom – Em andamento, há uma grande pesquisa – com foco em crianças e internet – que será realizada no país, nos mesmos moldes da Europa. O sr. poderia explicar melhor em que consiste esta pesquisa?
Alexandre Barbosa – Esta pesquisa sobre a qual você faz re ferência é a Pesquisa TIC Crianças e TIC Kids Online, cujo objetivo é conhecer o uso do computador e da Internet entre crianças e adolescentes de 5 a 16 anos. Esta pesquisa conta com o apoio de importantes instituições como a Unesco e a Unicef. Parte do estudo tem como base a metodologia internacional da pesquisa EU Kids Online, desenvolvida pela universidade Inglesa London School of Economics. A pesquisa internacional EU Kids Online já foi realizada em mais de 25 países da Europa. A pesquisa TIC Crianças e TIC Kids Online já foi iniciada. Os resultados deverão estar prontos até o final do ano. Ela é aplicada em todo o território nacional e a coleta de dados é domiciliar. Os pesquisadores brasileiros contribuiram no planejamento das pesquisas e também estarão contribuindo na análise de dados.

Categorias

Arquivos

Tags