Pesquisar
Close this search box.

conheça o programa

Professor com baixa autoeficácia

Pesquisa da Unicamp revela baixo desempenho de professores com as TICs.
Professor com baixa eficácia
Fonte: veja.com

Um velho assunto e uma nova pesquisa. Cerca de 85% de uma amostra de 253  professores de Ensino Médio de escolas públicas estaduais de Campinas não se sente confiante para utilizar as atuais tecnologias no dia a dia escolar. É o que revela o estudo de doutorado de Cacilda Encarnação Augusto Alvarenga, defendida este ano na Faculdade de Educação da Unicamp.

Alvarenga investigou a autoeficácia – crença do indivíduo na sua capacidade de planejar e executar determinadas ações para atingir determinados resultados ou desempenhos – do professor frente às tecnologias de informação e comunicação (TIC) no ensino escolar, mais especificamente o computador e seus recursos.

De acordo com o estudo, a autoeficácia dos professores analisados é moderada, significando que é preciso trabalhar/capacitar melhor os professores no uso de tecnologia. A pontuação média dos pesquisados foi de 3.60, em uma escala de 1 a 6 pontos.
Segundo a professora, cursos de formação ou o simples acesso às tecnologias podem colaborar para que os professores adquirem mais habilidade para usar o computador e para ensinar com o auxílio das tecnologias, o que aumentaria, portanto, a autoeficácia dos docentes.

“Mas o fato de um professor ter autoeficácia baixa hoje, para usar as tecnologias com seus alunos, não significa que amanhã ou daqui a um mês ela ainda será baixa”, explica a pesquisadora.

Leia a matéria completa aqui

Fonte – Jornal da Unicamp

Faça aqui o seu cadastro e receba nossa news

0 0 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Anderson Leitão
12 anos atrás

Estudo semelhante deveria ser realizado junto aos professores da Rede Pública Estadual do Rio de Janeiro, com o objetivo de avaliar o impacto da distribuição de notebooks na qualidade de seu trabalho e no uso que os profissionais fizeram dessas máquinas. Aliás, até hoje não sei exatamente o que o governo do Estado pretendeu com esse “presentinho”. Os computadores foram simplesmente entregues; posteriormente não recebi nenhuma orientação quanto ao seu uso e nem fui consultado sobre de que modo utilizei o PC. Será que o governo gastou o dinheiro do contribuinte só para fazer marketing? Será?!

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar