Glocal Experience: ações locais podem gerar impacto global. Evento no Rio vai até domingo

Encontro é gratuito, na Marina da Glória.

Diálogo, reflexão, empoderamento e mão na massa: é a mistura desses ingredientes que vem dando o tom da Glocal Experience, evento, gratuito, que é realizado, na Marina da Glória, no Rio, até este domingo, dia 17 de julho. A proposta do encontro é promover um debate contundente entre a sociedade tendo em vista a Agenda 2030, em busca do cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU).

O evento começou, no último dia 12, com a participação de 600 jovens, reunidos no 1º Fórum da Juventude Rio 2030, sob o tema ‘Não existe Planeta B!’. De diferentes localidades e realidades, eles produziram a Carta da Juventude Rio 2030. Trata-se de um manifesto que indica quais as ações que a atual geração acredita serem necessárias para transformar positivamente o amanhã.

Na lista: conscientização socioambiental nas escolas; oportunidades e direitos para a população, independente de gênero, raça e sexualidade; criação de fundos públicos e privados para investimento; postos de trabalho formais e dignos nas periferias; bem como abertura de mais espaços para o protagonismo juvenil na execução de políticas públicas voltadas para a educação ambiental.

“É muito importante esse protagonismo jovem no debate da Agenda 2030 na Glocal Experience. Precisamos ter mais voz nesses espaços que discutem educação ambiental e meio ambiente porque, muitas vezes, eles falam pelos jovens, mas sem que estejamos inseridos. Aqui, desenvolvemos nossa própria metodologia e construímos a Carta em conjunto, com jovens de diferentes locais e origens, representando inúmeros movimentos, coletivos e organizações”, afirmou Ana Nathalia, do comitê organizador do Fórum, em entrevista ao Jornal Extra.

Fora do Fórum, especialistas, ambientalistas e líderes comunitários também discutiram, ao longo dos primeiros dias do encontro, formas concretas para viabilizar a Agenda 2030.

Um dos debates que ganhou destaque foi a questão do acesso à água e ao saneamento: imprescindível para o desenvolvimento social. Nas discussões ficou evidente que investimentos são necessários, mas não bastam. É preciso eficácia na governança dos projetos. E mais: tecnologias inovadoras, educação ambiental e mobilização, tanto de governos quanto de empresas e entidades da sociedade civil.

Alexandre Bianchini, presidente da Águas do Rio, destacou as ações que vêm sendo realizadas em algumas comunidades do Rio, que vão além do acesso à água e à coleta e tratamento de esgoto, levando saúde e dignidade e geração de renda. Ele mencionou o resultado bem-sucedido do trabalho na Barreira do Vasco, no bairro de São Cristóvão, que foi uma das primeiras a ser atendida pela concessionária.

“Era uma localidade que não tinha abastecimento de água regular. Iniciamos um processo social que engloba geração de empregos, recuperação e implantação das redes de água e esgoto, educação ambiental e oferecemos a tarifa social. As pessoas passaram a ter água tratada nas torneiras, o consumo se tornou mais consciente e 85% das contas emitidas foram pagas antes do vencimento. Isso demonstra que quando é feita entrega de qualidade, a sociedade se engaja positivamente”, afirmou, acrescentando que dos cinco mil empregos diretos com a concessão, 3.500 foram preenchidos por moradores de comunidades.

Ações locais que atendam às demandas das comunidades, mas com impactos na Agenda das cidades, é uma das bandeiras defendidas ao longo do encontro.

Silvana Gontijo, presidente do planetapontocom, idealizadora do programa Cidades, Salvem seus Rios, criado para engajar escolas na recuperação e preservação dos rios, acredita exatamente nesta bandeira: “A educação com e através de causas presume o protagonismo infanto-juvenil, o exercício da cidadania ativa e o aprendizado interdisciplinar e significativo. Articular a solução dos problemas do seu rio com os conteúdos curriculares é dar significado e relevância ao aprendizado e, em última análise, à experiência escolar. Não é mais possível excluir ludicidade e prazer dessa experiência. Aprender e ensinar podem e devem ser uma aventura instigante e desafiadora. Como é desafiadora a luta por um futuro sustentável”, destaca Silvana.

Experiências, conteúdo e muita reflexão, mas “para que o evento seja um agente transformador, de fato, é preciso que ele seja atrativo e envolvente”, explica o diretor-geral da Glocal Experience, Rodrigo Cordeiro.

Segundo ele, o evento precisa, portanto, integrar quatro grandes elementos: arte, cultura, tecnologia e conteúdo. “É o que vai nos fazer permear a cabeça e o coração das pessoas. É isso que faz realmente as pessoas se conectarem com os assuntos. O objetivo aqui é criar reflexão e permitir que cada um pense sobre como vai transformar o planeta”, conta Rodrigo.

Não é por acaso que a programação é recheada de oficinas e muita arte e entretenimento. Seja bem-vindo ao Planeta Terra. Fique à vontade. Esta é a sua casa! É com essa mensagem, por exemplo, que todos que passam pelo Espaço Imersão – Projeto Futuro – são recebidos e convidados a uma reflexão para tornar o planeta mais sustentável. A projeção de 360º graus é uma atração da Águas do Rio e o Instituto Aegea.

Com o objetivo de instigar o público sobre o futuro dos oceanos, uma enorme onda de lixo está instalada no meio da Glocal Experience. A obra de arte é uma das intervenções que mais chama a atenção dos participantes. Não há quem não fique impactado.

Outra atração imperdível? Que tal um passeio virtual pela Baía de Guanabara. A atração oferece um passeio de barco pela baía, com direito a imagens 360º, através de óculos de realidade virtual. É possível ver o hoje desse ecossistema e o caminho para um futuro sustentável.

O evento é gratuito e vai até este domingo, dia 17 de julho. É possível também acompanhar a distância. Para ambos os casos, basta fazer um cadastro no site glocalexperience.com.br ou na entrada da Glocal Experience, na Marina da Glória.

A Glocal Experience é uma iniciativa da Dream Factory, com a co-realização da Editora Globo, com patrocínio master da Águas do Rio.

* com informações do Jornal O Globo, Águas do Rio e Glocal Experience

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar