Planejar indica a certeza de que há um caminho a seguir

Por Vânia Musse
Professora Rede do Estado do Rio de Janeiro
Em qualquer atividade, o ser humano tem, no planejamento, a maneira de saber que seu objetivo será atingido. Mas atento ao fato de que um planejamento precisa levar em conta a flexibilidade, que possibilitará sua alteração parcial ou total. O que não se pode é perder o foco do que se quer atingir.

O planejamento de uma escola é o ponto principal para a sua qualidade de gestão e, consequentemente, da qualidade do ensino. O importante é que esse planejamento seja feito levando-se em conta as sugestões dos membros da equipe, nos seus variados setores de atuação. Quando todos participam, as responsabilidades para se alcançar às metas tornam-se compromisso de todos.

A partir do planejamento da unidade escolar, iniciam-se os planejamentos mais específicos, onde o ideal é que seja feito pelo grupo de professores seja por série ou disciplina. O importante é que se perceba a unidade, coerência e integração. Não se pode esquecer que o conhecimento é um todo e precisa acontecer de forma plena. Não se pode limitar a aprendizagem a uma determinada série ou disciplina sem levar em conta o entrelaçamento que ela sugere.

O planejamento do professor é a última etapa, mas é o mais decisivo. É o professor que está na ponta desse processo. De sua atuação dependerá efetivamente todo o planejamento da escola. A cada turma caberá um planejamento, pois as turmas se diferem. Além disso, dentro da própria turma o planejamento precisará ser adequado, levando-se em conta as individualidades dos alunos.

Para que um planejamento esteja fadado ao sucesso é imprescindível que se faça inicialmente uma observação detalhada sobre uma série de fatores. Entre eles: a realidade material; os recursos humanos; o cronograma; o público-alvo; o objetivo; e a observância de alterações previstas.

Por exemplo, o planejamento do meu projeto de sala de aula, do ano passado, partiu da constatação, através de pesquisa feita, da subutilização do aparelho celular pelos professores. Levando-se em conta o grande acesso dos alunos a essa mídia, a proibição de seu uso em espaço escolar, a necessidade da escola em preparar o aluno para a sociedade informatizada, achei importante fazê-lo.

Para isso, é essencial que o professor entenda que a educação precisa acompanhar a modernidade, trazendo para dentro da escola as possibilidades pedagógicas das mídias. Dessa forma, alguns desafios serão travados. Neste sentido, iremos tornar o professor mais acessível ao novo paradigma pedagógico; incentivá-lo a se capacitar para a utilização das mídias; oferecer a capacitação de acordo com a sua disponibilidade de tempo; ajudá-lo na implantação das atividades propostas na oficina; e criar possibilidades para a divulgação do seu trabalho.

Categorias

Arquivos

Tags

Você pode gostar