Inglês, cozinha e sala de aula: veja como fazer

Instituição –  Colégios Osvaldo Cruz e Pindorama
Localização – Rio Grande do Sul

Na sala de aula, cadeiras são substituídas por fogões e panelas. Cadernos e livros dão lugar a ingredientes de cozinha. A culinária é uma alternativa para a aprendizagem do inglês no Ensino Fundamental dos colégios Osvaldo Cruz e Pindorama, ambos da Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH), no Rio Grande do Sul. Nessas aulas os estudantes descobrem novos sabores, culturas diferentes e como usar a língua inglesa no dia a dia.

De acordo com a professora de inglês, Luciana de Souza Brentano, coordenadora bilíngüe dos dois colégios, esse tipo de atividade onde os alunos vivenciam a língua, torna o ensino mais eficaz. “Apenas o ensino da gramática desvinculado dessa vivência torna a língua inglesa algo sem sentido para as crianças. Com este projeto, eles criam gosto pela língua estrangeira e pela cultura. As famílias nos dão esse retorno, de que o estudante não está apenas aprendendo, mas levando o aprendizado para casa”, diz.

Por meio da culinária, os alunos aprendem até matemática em outra língua. “Eles precisam converter as medidas, pois as usadas no Brasil são diferentes das usadas em outros países como Inglaterra, Canadá e Estados Unidos, bem como quais são os pratos típicos de outros países e o significado deles para suas respectivas culturas”, comemora a professora.

Na avaliação de Luciana, a língua inglesa – aprendida na sala de aula – é importante não apenas para o rendimento e o sucesso escolar, mas para o futuro dos estudantes. “Novo Hamburgo é conhecida como cidade exportadora, especialmente no setor de calçados. As famílias querem preparar os filhos para esse cenário e até mesmo para o mundo globalizado no qual vivemos. Hoje, nossos alunos aprendem as matérias nas duas línguas. Os conteúdos são divididos entre o inglês e o português. Mas as aulas de culinária são exclusivamente em inglês”, destaca.

Categorias

Arquivos

Tags